Carmen Sandiego, mais uma boa animação dos novos tempos.

Carmen Sandiego foi uma daquelas séries que me atingiu e eu nem vi de onde.


A série sobre a bandida vermelha estreio nesse mês de janeiro, porém eu só fui saber da sua existência em dezembro, e isso só por causa de mais uma das polêmicas envolvendo o visual das novas animações. O que eu realmente não entendi o motivo, visto que a Carmen de 2019 tem o mesmo visual da dos anos 90, só que deixando ela com uma aparência mais latina.

O que mudou mesmo foi o traço, que segue o estilo próprio do estúdio que está produzindo essa animação. O Estúdio Chromosphere, que fez um especial das Meninas Super Poderosas em 2014 e a atual campanha da Dove sobre autoestima envolvendo os personagens de Steven Universo. Onde o traço da Chromosphere é um pouco mais estilizado, sem contornos, tendo uma pintura mais em 2D, parecendo até recortes. E assim, pode-se até não gostar pessoalmente do visual, mas não dizer que está ruim já é exagero.

Bem... eu espero que essa questão dos traços dos novos desenhos animados tenha ficado em 2018.


Eu não assisti a antiga série da Carmen Sandiego ou joguei o jogo educativo, na verdade, eu nem sabia da existência dessa personagem antes desse remake. Sendo esse é um dos motivos de se reaproveitar um personagem, para fazer com que ele alcance novos públicos, caro leitor. Em resumo, essa será uma análise de uma nova expectadora da “franquia”.

A série da Netflix da Carmen Sandiego conta a história dessa Robin Hood feminina que só rouba uma instituição criminosa chamada VILE, devolvendo os itens para seus verdadeiros donos e doando o dinheiro para instituições. Carmen rouba essa instituição especifica, pois ela fazia parte da VILE, mas depois de perceber o dano que essa organização causava as outras pessoas ela se volta contra eles em uma espécie de acerto de contas.

Porém Carmen não está sozinha, ela possui a ajuda de seu melhor amigo, Player, um jovem hack que sempre a ajuda remotamente, e dos gêmeos Ivy e Zack, que conheceram Carmen em um roubo contra uma das lojas da VILE.

Como Carmen Sandiego é uma série de perseguição o conflito não fica só entre a heroína e os vilões, afinal, por mais que ela esteja roubando dos ricos para dar aos pobres ela ainda é uma ladra, uma ladra investigada pela polícia, mas especificamente a ACME. Um núcleo policial representado pelos franceses Chase Devineaux e Julia Argent.

Então, a série fica em um ciclo onde a polícia persegue a Carmen e a Carmen persegue a VILE. Uma dinâmica interessante porque, tirando a Carmen saber sobre a VILE, esses três núcleos não sabem nada um sobre o outro. A VILE não sabe como a Carmen e nem a polícia operam, a polícia não sabe como a Carmen e a VILE operam e a Carmen não sabe como a ACME opera.

Ou seja, nessa primeira temporada há hits de uma futura aliança entre a polícia e a ladra em vermelho, mas ela não pode ocorrer porque ninguém sabe quem está trabalhando com quem e sempre há uma desconfiança entre eles. Mas como o espectador sabe como cada um funciona, meio que torcemos para que eles descubram um sobre o outro, formem uma aliança e se ajudem no final.

Como eu assisti essa série meio que do nada, só vendo um trailer, eu realmente fiquei bem positivamente supressa com esse gênero investigativo. (Na verdade, é porque eu tenho um certo gosto por filmes e séries policias de investigação).


Outra característica bem positiva é a globalização da série, visto que a organizações de vilões é internacional e a Carmen tem que agir pelo mundo. Na verdade, eles até colocam bastante informações geográficas durante a série, são diálogos meio esquisito de se acontecer, mas se tratando de uma série infanto-juvenil, acho bem positivo essas informações serem passadas. Mas isso foi provavelmente uma homenagem ao que Carmen Sandiego era originalmente: um vídeo game educativo sobre geografia.

Sem contar a diversidade étnica, a Carmen é argentina, a polícia é francesa e a VILE têm agentes de todo o mundo.

Claro que por conta de ter três núcleos o número de personagens será um pouco grande. Eles conseguem manejar bem esses números, assim não dá para aprofundar muito eles, afinal são só nove episódios, mas a personalidades dos personagens conseguem ser passada apesar do pouco tempo. Porém os alguns relacionamentos entre os personagens ficaram meio vago e sem credibilidade.

Por exemplo, apesar de eu adorar os gêmeos eu acho que eles ficaram meio jogados, a amizade entre eles e a Carmen não ficou tão convincente, principalmente porque a série não tem um tempo de folga dos crimes. Parece que eles são realmente uns “minions” da Carmen que aparecem só para ajudar, falta ou uma razão para eles serem contra a VILE ou para eles serem tão bons amigos com a Carmen.

O mesmo vale para os policiais, assim, eu sei que o policial Devineaux é um idiota para ser cômico e ressaltar o bom senso e a inteligência da policial Argent, mas tem momentos que não faz sentindo a Argent aturar ele. Falta um lado bom do Devineaux, um lado que só a Argent tenha visto.

A VILE também pareceu ser uma organização criminosa porque sim, mas com o final da temporada parece que há algum motivo menos simples para ela ser o que ela é hoje. Então, eu espero que todas essas questões sejam trabalhadas nas próximas temporadas.


A produção me parece ótima, principalmente porque achei que, por conta do traço, a animação seria mais travada, mas parecida mesmo com a animação de recortes, mas não, ela é bem fluída e com bastante cenas de ação. A colorização é bem vivida, com bastante luz, sombra e cores, onde os cenários, principalmente das cidades, são lindos.

A trilha sonora também foi outra surpresa, visto que ela era uma mistura incomum de música espanhola com música de suspense e ação. Outro ponto positivo porque deixou a série com uma sonorização bem única.

De uma forma bem geral, Carmen Sandiego é uma ótima série animada de investigação e ação, com uma animação bem estilosa e personagens interessantes, apesar de precisarem ser aprofundados. No entanto é só a primeira temporada de só nove episódios, e para uma introdução eu diria que ela está excelente.

Eu realmente recomendo que você dê uma chance para essa série que está disponível na Netflix.

Na moral, essa série merece mais amor.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.