She-Ra e As Princesas do Poder que Incomodam Muita Gente

♫ Deixa as mina brinca ♫

Mês passada estreou She-Ra e As Princesas do Poder, porém antes dessa estreia houve uma polêmica no meio do ano envolvendo o novo design da personagem. Se não ta sabendo, vou deixar um link de um vídeo onde explico isso, mas resumidamente, homens adultos não gostaram do novo design e foram xingar muito no Twitter.

Hoje eu vou é falar o que achei sobre mais essa estreia da Netflix, por sinal a Nerflix tá vindo com tudo em relação as animações esse ano. Antes de mais nada, eu não assisti a série dos anos 80, nem a da She-Ra nem a do He-Man, eu não conhecia o mundo de Etheria, e tudo é novo para mim. Ou seja, essa é a opinião de uma nova espectadora da heroína.

Amiga, assim não dá para te defender.
Como eu fiz um clickbait com o título, eu vou começar essa análise com a produção, que foi o que me chamou a atenção.

A animação se mostrou bastante irregular. As flexas do Arqueiro viviam sumindo e aparecendo, assim como a espada da She-Ra e as vezes os personagens ficavam desproporcionais. Sem contar, do que foi aquilo na dança da Felina com a Adora? Já vi animações piores? Já vi animações bem piores, mas She-Ra tava precisando ter um pouco mais de cuidado. Era realmente uma questão de alguém assistir com um bloquinho e anotar a continuidade.

Tirando esses detalhes, está uma animação padrão, preferia uma animação com mais sombras e menos chapada? Preferiria, mas entendo que o orçamento pesa. No geral tá bem desenhado e bonito (esteticamente) de se ver.

Olha esse crt c crt v
Ok, agora vamos falar das coisas boas.

O design em si está diferente, as personagens destoam bem mais uma da outra em relação da série antiga, e eles vieram com tudo em relação a incluir diversidades. O que é o ponto mais positivo dessa releitura, representatividade importa sim, o entretenimento tem a função de naturalizar, de tornar normal, por isso é importante mostrar a diversidade de corpos e raças que existem no mundo e não ficar só na branca do corpo violão.

Vamos lembrar que esse é um desenho infantojuvenil, que tem o objetivo de fazer com o que o seu público alvo, jovens meninas de 8 até 14 anos, se identifiquem com elas, ou seja, elas precisam se identificar com adolescentes e não com mulheres.

E o cuidado que faltou na animação foi para a dublagem, na dublagem americana parece que as personagens é que foram feitos para a vozes e não contrário. As vozes dão a personalidade dos personagens, é até engraçado porque a voz da Adora é parecida com a da Korra, e são duas personagens com personalidades bem-parecidas, mas são atrizes diferentes. Ou seja, teve uma preocupação de construção de personagem com os atores. Em relação a dublagem brasileira, acho que ficou ok, aquela história, se não incomodou é porque tá ok.

Olha que trio lindo e diversificado.
Agora vamos ao que importa, a história, a narrativa.

Basicamente existe a Horda, uma governo autoritário que quer dominar o mundo, e eu acho que conseguir o poder mágico que esse mundo possui, e existe o outro lado que são os reinos mágicos, onde havia uma união entre eles para ir contra a Horda, porém, com a falta de vitórias, cada reino preferiu seguir cada um por si.

Adora, que era da Horda, encontra a espada da She-Ra e descobre que a horda está destruindo tudo sem se importar com quem e muda de lado para ajudar a Princesa Cintilante e o Arqueiro a refazer a União das Princesas. Princesas essas que têm poderes mágicos a partir de pedras mágicas.

A questão é que até o momento não se têm uma ameaça verdadeira dentro da Horda, nós temos crianças aprendendo a serem soldados, temos soldados patrões que estão lá para apanhar, não sabemos de quase nada do Hordark, suas reais intenções, e a Sombria não parece ter nenhum controle sobre ninguém. A Felina é a mais próxima de ser uma ameaça, mas ela está no dilema entre ser a mocinha ou a vilão, além de ter parceiras mais personalidades de mocinhas do que vilãs. E do lado dos heróis temos uma rebelião liderada por um adolescente que bufa e grita com a mãe por tudo.

Isso tudo até seria um problema se a série até o momento se levasse a sério, mas a série não se leva a sério, a primeira temporada de She-Ra é bem mais de comédia do que de ação. E por ser a primeira temporada de um show infantojuvenil, não vejo problema nisso, até porque é bem divertido e engraçado. A primeira temporada se colocou para apresentar um universo, mas sem tanto desenvolvimento, prendendo o espectador no entretenimento.

A série segue com os três protagonistas, em um esquema episódico de conhecer e recrutar as princesas com a Felina e a Sombria tentando trazer a Adora de volta para o lado negro da força e dando hits do que é aquele mundo e de onde veio a Adora.

A gente é bem mais legal que aqueles lá em cima.
Em relação aos personagens o núcleo da Horda e mais interessante e desenvolvido.

O núcleo principal parece não aprender com as coisas que acontecem. A Cintilante, quando finalmente parece entender que pode confiar na sua mãe, volta atrás e sugere novamente mentir para ela. O Arqueiro não tem nenhum episódio de desenvolvimento, estão ali como apoio emocional para as outras duas personagens. O que é até positivo pensando em um personagem masculino, dando um bom exemplo de uma masculinidade subversiva, porém sendo um dos protagonistas um arco dele na próxima temporada.

A Adora mudou de lado em um estalar de dedos, ok, não foi em um estalar de dedos, qualquer pessoa com um pouco de empatia não continuaria lutando pela horda, porém ela não tem nenhum pensamento profundo de que nem todos na Horda são maus, ou até mesmo que ela tinha amigos lá. E o episódio ala estado Avatar que a Adora têm que desapegar dos amigos para ser uma heroína, no final não fez tanto sentido e perdeu todo o peso com a comédia do Ventania.

A primeira temporada de She-Ra e as Princessas do Poder começou bem, é divertido, você ri, alguns personagens são legais, têm diversidade, mas não pode continuar como está para as próximas temporadas. É preciso ter um cuidado com a produção, trazer uma ameaça real e principalmente desenvolver os protagonistas.

Eu particularmente gostei, porque têm bastante potencial e vou assistir mais temporadas se tiver e eu espero que tenha. E não vamos ser esses caras que deram notas baixas para a série porque não é como você viu na infância.

E aqui temos a melhor personagem dessa bagaça.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.