Christopher Robin - Um Reencontro Inesquecível [Review]

Um filme para a infância e não para o infantil.


O retorno ao Bosque dos 100 Acres se deu em meados de agosto de 2018 e contou com a direção de Marc Forster (que também dirigiu Em Busca da Terra do Nunca). A produção ficou com Brigham Taylor e Kristin Burr, enquanto o roteiro foi composto por três pessoas: Alex Ross Perry, Tom McCarthy (também roteirista em UP) e Alison Schroeder.

Como demonstrado nos trailers, Christopher Robin (Ewan McGregor) agora cresceu e se tornou um homem do trabalho, dando mais importância a empresa do que sua família. Até que o um urso de pouco cérebro retorna a sua vida e o faz repensar os seus atos.

A minha relação com o universo das histórias do Ursinho-Pooh estão quase todas atreladas com o personagem Tigrão, sendo o filme dele (Tigrão: O Filme) minha única memória palpável do Bosque dos 100 Acres. Se você assistiu esse filme você sabe que o Christopher Robin só faz uma ponta no final. O ponto que quero chegar é que eu “não conhecia” o Christopher, nem sua relação com os ursinhos, até o seu filme de 2018, por isso, eu senti que essa falta de relação com o personagem não fez me emocionar tanto quanto eu poderia.

Veja bem, não é preciso ver ou ler As Aventuras do Ursinho Pooh, os seus personagens fazem parte do imaginário popular e a história não demanda um conhecimento prévio (eles até fazem um breve resumo no começo do filme). Mas ter o Sr. Robin como um estranho pode fazer com que você não se importe tanto com ele. O que me fez ter empatia com Christopher, e me conectar emocionalmente com o filme, foi relembrar a minha infância com os meus ursinhos e dá grande família que criei quando criança. (Boa parte deles já foram para outros lares, mas eu não consigo me ver me desfazendo do meu Tigrão, Pooh e Pikachu).

Porque eu fico falando sobre se emocionar? Porque esse não é um filme que você vai pela história ou por um entretenimento, mas para sair do cinema com o coração aquecido. Christopher Robin é um filme que só quer ser simples, de dar um abraço e dizer que vai ficar tudo bem. Afinal em um filme que tem como grande mensagem: “É no nada que grandes coisas acontecem”, ele deve ser despretensioso.

Com esse objetivo a produção trabalha para tocar o espectador, fazendo uma fotografia mais quente, planos com uma luz no fundo, uma arte mais texturizada (objetos com mais textura) e usando uma paleta de cores mais sóbrias. A própria confecção dos ursinhos seguindo o estilo original e clássico está lá para remeter ao passado e consequentemente a infância.

Pois, por mais que esse seja um longa “para todas as idades”, esse é um filme que dialogo principalmente com quem está na fase adulta. Quando os ursinhos, nas suas inocências, perguntam o que é importante para o Christopher eles indiretamente perguntam ao espectador o que é importante para ele hoje.

Christopher Robin - Um Reencontro Inesquecível é o filme família para o dia de inverno para se assistir debaixo do cobertor com chocolate quente. Um exemplo da produção da áurea Disney.

To até pensando em rever as animações.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.