Monster Prom [Review]

“Se você tivesse que transar com algum animal, qual seria?”, essa e outras perguntas você responde no Monster Prom.


Monster Prom é um visual novel, um simulador de encontros, desenvolvido pelo Beautiful Glitch e o estúdio Those Awesome Guys e foi lançado no final de abril desse ano de 2018.

O jogo conta a sua história, um monstro adolescente com os hormônios a flor da pele que só quer levar alguém para o Baile da Escola, e você só tem 3 semanas para seduzir alguém. Entre as suas escolhas para um possível “date” (encontro) estão os seis alunos mais populares da escola: Miranda, uma princesa sereia; Damien, um demônio arruaceiro; Scott um lobisomem de pouca inteligência; Liam, um vampiro hipster; Polly, uma fantasma festeira; e Vera, uma metida górgona (Medusa). Enquanto você tem a opção de escolher um personagem, dentre os quatro “heróis” disponíveis: Amarelo/Oz, uma abominação; Vermelha/Amira, uma gênia; Verde/Brian, um zumbi; e Azul/Vicky, uma Frankenstein. (Porém, eu tenho que admitir que eu não sei se tem diferença entre quem você escolhe, além do visual).

Uma observação muito importante é que o jogo é totalmente basseado no amor e não no gênero dos personagens, ou seja, você pode ficar com quem você quiser sendo quem você quiser. Além de dar a opção de, mesmo escolhendo um personagem masculino, ainda ser chamada por ela e vice-versa.

O jogo, como um visual novel, consiste em você ler os diálogos e as situações e responder a elas “da sua pior maneira possível”. E conforme você responde a elas você ganha mais ou menos pontos com o seu pretendente. Você começa o jogo respondendo um questionário de personalidade com perguntas insanas como a primeira frase desse poste ou: “Se você tivesse que namorar um objeto, qual seria?”. Tudo isso para saber qual o seu par ideal. Depois disso você tem entre 9 ou 18 conversar para conseguir conquistar o seu pretendente. 

"Estava claro: tinha que ser com um deles... mas qual?"

O que me leva ao primeiro ponto positivo desse jogo, você pode escolher entre fazer a jornada mais curta, de mais ou menos 30 minutos, e a jornada mais longa, de uma hora. O que é ótimo para as pessoas que não têm tanta paciência com jogos de leitura, como eu. (Eu já tentei jogar o de uma hora, mas no meio do caminho eu desisto e fico pulando os diálogos). Não que os diálogos sejam chatos e monótonos, pelo contrário, as conversar são muito divertidas e engraçadas, tendo um humor ácido e idiota, com sarcasmos e trocadilhos, que tiram várias risadas do jogador.

Um porém, é que não tem a opção de salvar, ou seja, se você escolheu o caminho mais longo, não tem a alternativa de parar e voltar mais tarde. Mas acho que o intuído de não ter essa alternativa é para evitar que as pessoas salvem e fiquem voltando para “concertar” as coisas. Nada disso, se você começou o jogo você tem que terminar.

Mas não se preocupe, você pode jogar várias vezes sem ser repetitivo, das cinco vezes que joguei, só uma vezes dois diálogos distintos se repetiram. O objetivo é jogar várias vezes, desbloquear todas os finais possíveis e, claro, conquistar todos os monstros. Ele também tem um modo multiplayer online, mas como sou “forever alone”, ainda não testei. (Acho que nesse modo os seus amigos podem te ajudar ou te atrapalhar a conquistar o seu par).

Por fim, acho que as imagens falam por si só, mas a arte desse jogo é sensacional, em um traço meio hibrido do cartoonesco com o de anime/mangá. As cores e expressões dos personagens são vivas e divertidas. Além das imagens dos créditos serem muitos fofas.

Monster Prom, infelizmente, só está disponível em inglês, mas eu espero que ele fique mais popular e assim ganhe uma tradução para português, mesmo que não oficial. Porém, se o idioma não é um problema para você, ele está disponível na Steam por R$24,89.

Quero uma série desse troço, meu deus, por favor!

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.