Frágil Equilíbrio [Crítica]


Sinopse: Um executivo japonês em Tóquio. Uma comunidade subsaariana. Uma família em Madri. Três histórias de contradições que se desdobram em diferentes lugares do planeta, em diferentes esferas socioculturais.

Crítica por Reinaldo Barros: Frágil Equilíbrio foi concebido e costurado com as palavras de um dos líderes mais populares e emblemáticos da última década da América do Sul, sim eu falo de José Mujica, aquele presidente do fusquinha, da casa simples e da língua afiada. O presidente da antiga província cisplatina ficou mundialmente conhecido pela sua simplicidade, que chocou e despertou admiração ao mesmo tempo, pois era mais um chefe de estado socialista eleito pelo povo.

Assim como o ex-presidente uruguaio esse documentário chama a atenção para questões importantes acerca da humanidade. O foco da narrativa é no drama vivido em três histórias de diferentes lugares do mundo. O ponto em comum aqui é a liberdade e a felicidade, que assumem trajes diferentes de acordo com cada grupo abordado e em certo momento até antagonizam seus significados. Os três grupos são: Executivos japoneses trabalhando escravos do trabalho e consumismo; famílias espanholas destruídas por conta da crise econômica e da corrupção do governo; e uma comunidade subsaariana de pessoas que tentam escalar um muro em forma de grade para chegarem à Europa.

Esse é um daqueles documentários que devem ser obrigatórios nas universidades, pois traz uma experiência humana muito dura e muitas das vezes invisíveis para indivíduos incapazes de refletir e olhar para o outro como semelhante. É impossível sair indiferente após assistir esse filme, sair sem pensar sobre as dificuldades que enfrentamos, os privilégios que possuímos e aqueles que estão abandonados, indesejados pelo consumismo. O mais cruel de tudo isso é constatar o quão certo está Mujica ao falar sobre a dificuldade de se romper com esse sistema, pois o oprimido acaba se tornando o opressor e repetindo a opressão.


Como mudar tudo isso? Como tornar o mundo mais justo, mais feliz? E o que é ser livre? Foram essas algumas das indagações que fiz a mim mesmo e tenho certeza que outras surgirão em sua mente quando você assistir.

Frágil Equilíbrio conquistou o prêmio de Melhor Documentário Espanhol no Festival de SEMINCI e também o de Melhor Documentário da Academia de Cinema da Espanha (Goya) e vem para o Brasil na plataforma Vimeo On Demand.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.