Berenice Procura [Crítica]


Sinopse: A taxista Berenice (Claudia Abreu) está acostumada a passar horas e horas pelo trânsito caótico da cidade do Rio de Janeiro e de seu bairro natal, Copacabana. Consumida pela profissão, o pouco tempo que tem de sobra, ela se divide entre a criação do filho Thiago (Caio Manhente), um adolescente descobrindo sua sexualidade, e sua conturbada relação com o marido Domingos (Eduardo Moscovis), um repórter policial. Até que o assassinato de Isabelle (Valentina Sampaio ), uma travesti, na praia de Copacabana, desperta um lado seu investigativo, mudando sua vida.

Crítica por Reinaldo Barros: Se você leu a nossa crítica do filme As Sufragistas já sabe que o filme aborda a questão histórica e atualíssima da representatividade feminina e pegando um gancho nesse tema eu gostaria de compartilhar com vocês um filme nacional igualmente relevante e para você não perder anote aí: Estreia nos cinemas dia 28 de junho de 2018 (Semana que vem!).

Juntamente com outras produções nacionais, essa foi uma das adoráveis surpresas do último dia da Rio2C. Berenice Procura é um filme que aborda a intolerância sofrida pelos homo e transexuais na nossa sociedade e retrata também a dificuldade enfrentada pela mulher, que para criar o filho, se submete a continuar morando com o ex-marido abusivo.

A taxista Berenice (Claudia Abreu) decide investigar um misterioso assassinato em seu bairro e suas descobertas vão além de suas expectativas. Enquanto busca solucionar o caso, Berenice acaba se aproximando mais de Tiago (Caio Manhente), seu filho adolescente, que está descobrindo sua sexualidade.

Nesse filme temos algo ainda raro de se encontrar por aí, é a tal da representatividade. Aqui a protagonista é uma mulher (Berenice) e a coadjuvante é uma transexual (Isabelle), interpretada pela atriz e modelo transgênero Valentina Sampaio. Essa representatividade é ampliada com a presença de outras atrizes trans. Foi o primeiro filme que vi com atrizes transgênero abordando a questão social delas, mostrando a realidade de pessoas marginalizadas por conta do preconceito e da intolerância, reféns da exploração sexual, mesmo aquelas que optam pelo caminho artístico.


Sem dúvida Berenice Procura é um filme necessário nos dias de hoje para ajudar a fomentar a discussão a respeito da igualdade de gênero, combater a homo, a transfobia e também os relacionamentos abusivos.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.