Os Vingadores: Guerra Infinita [Review]

E chegamos no ápice da construção do universo cinematográfica da Marvel.


O terceiro filme de Os Vingadores estreou ontem, dia 26 de abril de 2018, foi dirigido pelos irmãos Anthony e Joe Russo e  produzido pela Marvel Studios (Oh really?).

A história do filme é simples, Thanos, o vilão, quer juntar todas as 6 jóias do infinito para matar metade da população do universo e os Vingadores têm que impedi-lo.

Então, vamos começar com o mais visível, o grande número de personagens. Sim, eles conseguem trabalhar todos eles, óbvio que não há desenvolvimento, esse desenvolvimento aconteceu nos filmes anteriores e solos, mas a forma a qual eles são colocados e a forma que eles se encontram (tirando uma) é bem escrito, faz sentido e você acredita. Sem contar a interação entre eles, que geram toda a comédia do filme. (Tony Star e Doutor Estranho, melhor dupla.) A motivação do vilão também é plausível e você consegue entender, porém os sentimentos do personagem não convencem, a personalidade de Thanos parecia um pouco instável.

Na verdade, eu menti, tem um personagem que se desenvolve nesse filme, é o Thanos, Vingadores: Guerra Infinita é o desenvolvimento desse personagem.


Mas o fator número um é a ação, é luta do início ao fim, não tem como o espectador ficar entediado. A maioria das lutas foram bem coreografadas, animadas, enquadradas e editadas. A luta no planeta Titã, teve um jogo de câmeras que fez ela parecer tridimensional, acho que essa é melhor cena para ser vista em 3D. (To até pensando em rever esse filme para rever essa cena em especifico.) Mas tenho que falar que a luta em Wakanda pareceu mais do mesmo, na verdade ela até reproduz uma certa cena de os Guardiões das Galáxias.

Você precisa ver os outros filmes da Marvel para ver esse filme? Sim e não. O filme possui uma história própria que você vai entende-la do começo ao fim, porém se você não tiver um mínimo de conhecimento dos personagens, você não vai se importar com eles. Pois, como eu disse, eles não têm desenvolvimento e são só colocados naquela situação.

A produção foi espetacular, como sempre, porém quero reclamar de dois detalhes. O primeiro são os filhos de Thanos, que ficaram muito CG (3D), quando davam close neles parecia que eu estava vendo um vídeo game e deu uma certa quebra de realidade. A outra é a trilha sonora que ficou mais do mesmo, esperava  músicas menos genérica para um filme tão emblemático.

Por fim, são 10 anos de produções da Marvel Studios e parece que foi ontem que eu assisti o primeiro Homem de Ferro e me apaixonei per esse universo. Espero que a compra da Fox seja feita, porque eu quero o meu Vingadores VS X-Men, bitches.

(Não vou falar que é um filme corajoso, porque ainda tem mais um.)

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.