Medo Profundo [Crítica]


Duas irmãs viajando de férias pelo México só querem se divertir, dançar, beijar, mergulhar com tubarões brancos e mandar as fotos para o ex. Lisa (Mandy Moore) aceitou viajar com a irmã mais nova Kate (Claire Holt) para se divertir e tentar esquecer seu ex-namorado, por quem ainda é apaixonada. Lise se culpa constantemente pelo término por acreditar que sua personalidade tranquila teria sido determinante para isso.

Como uma boa irmã Kate resolve agitar as coisas e convence a irmã a dar uma volta e aproveitar a noite. Em uma festa as duas conhecem dois rapazes da região que as convidam para um passeio popular entre os turistas, o mergulho com tubarões.

Fazer terror e suspense com tubarão já é algo bem batido e dificilmente irá impressionar o público. O que se pode fazer é tentar mudar um pouco os adereços, no entanto a parte principal sempre será o bichinho dilacerando humanos desesperados. Tais mudanças até vieram, dessa vez os tubarões estão numa boa em seu ambiente natural e são provocados por pessoas buscando boas fotos e passar a nesse dócil peixe.

Outra mudança é a “doçura”, só faltou eles virarem de cabeça para baixo e abanar a cauda. Dos filmes de tubarões assassinos esses são os menos letais, nem parecem ter uma mordida capaz de dilacerar e arrancar membros. Digo isso porque no filme eles basicamente só “arranham” os coadjuvantes e dão uns sustos de leve nos outros personagens. Isso de fato não é muito convidativo para quem busca um filme de terror com feras assassinas, mas tem seu lado positivo (Leia até o final). A trilha e a sonoplastia até se esforçam para trazer aquele clima de tensão antes dos ataques, porém foi um esforço sem muito sucesso.


Dá para tirar algo de positivo? Claro! Já parou para pensar no impacto que um filme desses pode causar? E no impacto já causado? Pode não parecer, entretanto sempre quando lançam um filme desse gênero isso causa um grande impacto na vida marinha. Tubarões foram e ainda são caçados mais pelo medo do que por qualquer outra razão. Nenhum tubarão sai caçando humanos, nenhum tubarão mata por maldade e jamais vai apresentar algum risco para nossa espécie. Basta respeitarmos seu habitat.

O impacto negativo não é exclusividade na vida deles, orcas e peixes-palhaço (O Nemo) já foram perseguidos bem mais depois de algumas produções cinematográficas. No caso do peixe toda criança queria ter um “Nemo” em casa, no da orca. . . Lembra como ela ficou conhecida? Baleia-Assassina!

Precisamos ter consciência e respeitar a natureza e não fazer como os personagens estúpidos desse filme que ficam provocando os tubarões só para se divertirem.



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.