Viva: A Vida é uma Festa [Review]


Um filme que polarizou os meus sentimentos em uma mistura de gosto e desgosto.

Viva: A Vida é uma Festa, originalmente Coco, é o mais recente filme da Pixar e estrou no Brasil ontem, dia 4 de Janeiro. Com 109 minutos de duração o filme é dirigido por Lee Unkrich e Adrian Molina.

O filme conta a história a partir da visão do menino Miguel Rivera, um amante da arte sonora, mas nascido em uma família que abomina a música, por ter sido o motivo de uma grande dor no passado dos Rivera.

Esse é um clássico filme Disney Pixar, que tem o objetivo de comover o público e passar uma mensagem calorosa no final, sendo cativante até para os mais velhos. Obviamente com a produção da Pixar o filme não teria como não passar emoções, a ambientação, com seus cenários e músicas, são de fazer qualquer um se arrepiar. Além da história, baseada na religião Mexicana, que tem um significado bem bonito, que talvez seja clichês para as pessoas mais adultas e já que "viram esse filme antes", mas para o público infantil (o alvo) ele pode ser interessante.

Porém, como um filme com objetivo de passar uma mensagem ele falha em outro aspecto. No começo do filme nos é contato que essa família “começou” a partir de um homem que abandonou sua esposa e filha, então, essa mulher teria reerguido sua vida com o trabalho duro, fazendo sapatos. O grande problema desse filme para mim é que essas mulheres são tratadas como mandonas e intolerantes. (Sem contar com a insinuação que mulheres gostam de sapatos.) E o homem que abandonou a família, é representado como uma grande vítima de um destino fatal e, de certa forma, romantizando o abandono masculino familiar. Eu não vou entrar em detalhes, por motivos de spoiler, mas fica o aviso se você é sensível sobre o assunto.

Particularmente, eu não sei se levaria uma filha minha para ver esse filme, por questões de representatividade que eu não gostaria que ela (ou ele) tivessem. Porém, essa sou eu. O filme provavelmente estará em cartaz até o final do mês, e Viva: A Vida é uma Festa, apesar dos problemasnão deixa de ser um filme com a aura Disney, bem animado e cativante para o expectador.

Se a história fosse sobre a mulher da esquerda seria meu mais novo filme favorito.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.