As Telefonistas [Review]

Quadro amigas vão aprontar e viverem altas aventuras nos anos 20.


As Telefonistas, originalmente Las Chicas del Cable, teve sua estreia dia 28 de abril de 2017 na Netflix e conta, atualmente, com 2 temporadas e 16 episódios de aproximadamente 50 minutos. Sendo uma produção espanhola ele é dirigido por Carlos Sedes e foi criado por Ramón Campos, Teresa Fernández-Valdés e Gema R. Neira.

A história começa no ano de 1928, em Madri, quando Alba (Bianca Suárez) se vê no meio de uma cena de um crime e a única alternativa dela não ir presa é roubando uma companhia telefônica. É, então, que ela resolve se candidatar para telefonista nessa empresa com o nome de Lidia e encontra as que irão se tornar suas melhores amigas: Ángeles (Maggie Civantos), uma antiga funcionaria da empresa que se encontra em um casamento perigoso; Marga (Nadia de Santiago), uma menina do interior que veio tentar a sorte em Madri; e Carlota (Ana Fernández Garcia), uma feminista, para a época, que busca ser independente.

O enredo se desenrola com o drama que cada uma delas sofre, o qual, na primeira temporada, está basicamente relacionado aos seus pares amorosos. O começo da série é um romance melodramático, o que, de certa forma, engana a venda “feminista” que a Netflix faz. Porém as personagens são cativantes, boa parte responsável pela boa atuação, e você se envolve nesse drama de novela que eles oferecem.


É na segunda temporada que as coisas começam a ter uma representatividade feminina melhor trabalhada. Sem poder entrar em detalhes, as quatro garotas se metem em uma situação problemática e precisam contar uma com a outra o resto da temporada. Fazendo um forte grupo de amigas que não brigam por homem, o que nos dias de hoje ainda está em falta no mercado de entretenimento.

Há rivalidade entre elas e mulheres fora do grupo? Sim, mas nem todos os homens se gostam também, vamos focar que eles mostraram que há uniam entre mulheres e que elas as colocam antes dos seus relacionamentos amorosos, na verdade quem coloca a mulher antes da amizade são os caras.

A atuações, como já falado, estão boas e dão ao personagem o que ele precisa. Principalmente a Ángeles, que teve uma mudança drástica da primeira para segunda temporada e a atriz soube faze-la sem ser forçada. E a ambientação dos anos 20 é tão bonita, que me faz querer que essa moda volte, realmente me encanta a forma como as pessoas se vestiam naquela época, apesar de a gente ficar relativamente preço nos mesmo cenários.

Apesar de ser uma série de época a situação que eles retratam em relação as mulheres podem perfeitamente serem colocadas nos dias atuais, porém As Telefonistas não deixam de ser, principalmente, um conteúdo de entretenimento e divertimento, além de ser uma ótima fonte para treinar o espanhol europeu.

A gangue tá formada.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.