Mahoutsukai no Yome – Episódio 01


Vou comentar e problematizar o anime de magia da temporada.


Mahoutsukai no Yome, também chamado de The Ancient Magus Bride (A Noiva do Mago) é originalmente um mangá da autora Kore Yamazaki e conta atualmente com 7 volumes publicados. Primeiramente ele teve em 2016 três OVAs, contando um tipo de prólogo da heroína, porém não é preciso vê-lo, só se você quiser saber a atmosfera do anime.
A série animada estreou no último sábado, dia 7 de outubro, no Crunchyroll, será feita pelo Estúdio Mit (Mesmo de Shingeki no Kyojin) e cotará com 24 episódios de aproximadamente 24 minutos cada.

Mahoutsukai no Yome contará a história de Hatori Chise, uma menina de 16 anos, que desiludida com a vida resolve se vender de escrava para um mercado negro mágico, onde ela é comprada por Elias Ainsworth, um mago, que quer faze-la de aprendiz e... esposa. Esse é o resumo do primeiro episódio.

Ok. Eu conheci Mahoutsukai quando saiu o primeiro OVA, atraída pelo traço e a protagonista acabou me conquistando. Então, fui ler o mangá e quando dei de cara com essa parte de esposa, fiquei bem incomodada. Porém segui até o volume 3, onde parei por falta de tempo.
Quando anunciaram uma série animada eu fiquei meio pé atrás em embarcar nesse “compromisso”. Aí ela estreou e eu assisti no mesmo dia. Porque é bom. Ele tem uma premissa muito problemática, porém a história é bem feita.

Vamos lá. Você tem uma personagem, adolescente, com problemas psicológicos de depressão que é comprada para ser esposa de uma criatura centenária. Isso é no mínimo errado. Se não tivesse a questão do noivado ainda seria meio problemático, mas não teria aflição. Felizmente isso fiquei em segundo plano, pelo menos até onde eu li. Eu espero que o anime continue assim.

Não é possível que só eu me incomode com isso?
Agora ao episódio.
Como episódio de estreia ele cumpriu o seu papel de apresentar os personagens principais, pincelando as suas personalidades e dando hits de como foi o passado da Chise. Também nos apresenta o universo, ou mitologia, daquela narrativa. Um mundo ficcional, mágico, que se passa na Inglaterra, ou seja, estaremos vendo magia ocidental, e que há um mercado de índole duvidosa dessa comunidade.
Quero ressaltar que me incomodou muito o Elias chamando a Chise de: “Meu filhote.”, isso só tornar toda a situação ainda mais problemática.

A série mostra seguir a produção dos OVAs, com um visual bonito, trabalhando o brilho e a luz, além do traço robusto, que dá seriedade aos personagens. Eles realmente deixaram com uma atmosfera mágica ocidental.
Um destaque para montagem, principalmente com os flashbacks, que deu um ritmo bom e misterioso para o primeiro episódio, o que é ideal, pois o objetivo do começo é justamente prender o espectador.

Esse com certeza será o anime da temporada e virei aqui a cada semana comentá-lo.

"Esse anime podia ser perfeito se ela fosse a herdeira dele."

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.