Meu problema com Ging Freecss


Porque aqui a gente não só faz review, a gente problematiza quando necessário.

Ging e Gon
Eu estou no final do remake do anime Hunter x Hunter e tem algo que me incomoda desde o primeiro episódio: o heroísmo que gira em volta de Ging Freecss.

Gon, protagonista da série, tem como objetivo se tornar um Hunter (Resumidamente: Hunter é uma pessoa forte que pertence a instituição Hunter e com isso ganha alguns benefícios) para achar o seu pai, Ging, que o deixou enquanto bebê. Acho que dá para saber onde irei chegar... 

Na narrativa até faz sentindo um menino de doze anos corre atrás do seu pai e admira-lo, principalmente se falam que ele é um caçador que luta com e contra monstros, onde até chega a ser bonito que o Gon não tenha ressentimentos com seu pai por tê-lo abandonado.

O meu problema é que em nenhum momento, até agora onde eu assisti, falam ou mostram que o que o Ging fez foi/é errado. Pelo contrário, sempre passam a mão na cabeça dele e o enaltecem, afinal ele demonstra ser um ótimo Hunter e isso é tudo que importa para um homem, não é mesmo?

Gon e Kite
A vista grossa para essa situação é justificada com o argumento que mesmo longe ele se preocupa com seu filho. Um exemplo é quando Gon encontra Kite, um ex-pupilo e amigo de Ging, pela primeira vez. Kite soca o menino no rosto, pois Gon havia feito uma besteira e teria colocado sua  própria vida em risco. Tempos depois, ao se encontra com seu amigo, Ging agradece Kite por bater e "ensinar uma lição" ao seu filho. Nossa, quanta preocupação paternal, deixa o Gon correr risco de vida e ainda agradece que um ESTRANHO bateu nele para educa-lo.

“Ah, mas o Ging fez um jogo para o Gon ficar mais forte.” Claro, muito melhor criar um jogo, que você nem sabe se ele vai descobrir, para fortalecer a sua cria do que o ensina-la pessoalmente.

A justificativa para o abandono do Gon é que Ging não conseguiria seguir o seu sonho de ser um Hunter e criar o seu filho ao mesmo tempo. Sabe, quando se tem filhos você tem que abrir mão de algumas coisas ou ser mais forte para ficar com ambos. Então, ele deixa o pequeno Freecss com sua prima, uma mulher, para cria-lo, afinal a senhorita Mito não tem nada maior ou melhor para fazer da vida dela do que criar uma criança, não é mesmo? É bem fácil fazer a criança, mas vamos dar a responsabilidade e o trabalho de criação para outra pessoa. No entanto, há pelo menos um ponto realista, o de que Ging não esperava que Gon quisesse encontra-lo depois de tudo, pelo menos é o que ele diz, mas pela história vemos que não é o que ele sente.

Gon e Mito
“Ah, mas e a mãe biológica do Gon? Ela também abandonou ele.” Claro, vamos justificar o erro de um com o erro de outra, mas já que falamos dela. Gon considera a sr. Mito, a prima que o criou, sua verdadeira mãe e é a mais pura verdade, e lindo. O problema é... Quando Gon é questionado sobre a sua mãe biológica. ele considera, e até deseja, que ela tenha morrido e não tem nenhum interesse ou curiosidade de conhece-la.

Até faz um certo sentido com a personalidade do Gon não querer ferir o sentimento da sua mãe de criação, mas a entrelinha dessa situação é tão sexista..! Porque, ok o pai abandonar o filho para seguir o seu sonho, o filho pode perdoar isso, mas a mãe abandonar o filho ela já tá automaticamente morta, condenada e sem chance de justificativa.

Hunter x Hunter é um ótimo anime, mas peca em detalhes que não fazem jus a potência da obra. O que me deixa feliz é que eu vejo que os fãs ao menos tem consciência da má paternidade do Ging.

"Também acho uma boa deixar um assassino treinar o meu filho."

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.